Força-tarefa mira quadrilha de tráfico de armas no RJ e em MS

Agentes tentam cumprir 17 mandados de prisão nos dois estados. Até as 11h30, 11 pessoas haviam sido presas. Suspeita é que o material venha do Paraguai.

Por Welinton Barros em 03/12/2018 às 22:21:04

Equipes da PRF cumprem mandados em MS - Foto: Reprodução/TV Globo

Uma operação conjunta da Polícia Civil do RJ e da Polícia Rodoviária Federal contra o tráfico de armas tenta prender 17 pessoas nesta segunda-feira (3). Até as 1130h, 11 pessoas haviam sido presas - pelo menos duas em Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

Apreensões ao longo de um ano levaram a polícia a identificar quadrilha que levava armamentos e projéteis de Mato Grosso do Sul para o Rio de Janeiro. Há ainda 20 mandados de busca e apreensão nos dois estados.

A suspeita é que o material vinha do Paraguai. O armamento trazido abastecia tanto traficantes de drogas quanto milicianos, que disputam o controle de comunidades em diferentes pontos do Rio. 

Agentes vasculham casa de suspeito na operação da Desarme - Foto: Reprodução/TV Globo

Uma dos presos no Rio é Roger dos Santos Macedo foi encontrado no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio, com uma pistola. Investigadores apontam que Roger era responsável por receber os grandes carregamentos e também por fazer as encomendas de armas e munição de uso restrito.

Inquérito policial conduzido pela Desarme, delegacia fluminense especializada em armas, identificou o envio de milhares de projéteis e centenas de armas de fogo nos últimos meses. O rastreamento da quadrilha partiu de apreensões em Itaguaí, Seropédica e Itatiaia, no RJ.

Um cabo do 14º BPM (Bangu) está sendo procurado, assim como quatro ex-paraquedistas do Exército e um ex-policial militar. 

Apreensões

A Desarme apreendeu, de um ano para cá, cerca de 33 mil projéteis e prendeu oito pessoas em quatro ações. A primeira foi em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, em 11 de novembro de 2017; a mais recente foi em 20 de agosto deste ano, em Seropédica, Baixada Fluminense.